Pular para o conteúdo

Mochilão no Nordeste: de Salvador a Maragogi – Parte II

  • Publicado em

Parte II

Olá viajantes!

Vamos continuar nossa viagem pela costa nordestina que começamos no primeiro artigo deste mochilão pelo Nordeste brasileiro?

Depois de sair de Mangue Seco, fomos para Aracajú. Chegando na rodoviária, a cidade parece ser super confusa e barulhenta, mas isso é só a impressão que passa o centro da cidade.

Na verdade, Aracaju, a capital de Sergipe, nos surpreendeu bastante. Ficamos na beira do mar numa pousada pequena e simples. A orla tem pista de bicicleta e pista de corrida e os carros param na faixa de pedestre.

Pelo menos nessa parte da cidade tudo é super tranquilo e agradável. Tem restaurantes, feirinhas de artesanato e muito movimento na rua. Não visitamos muitos pontos turísticos, pois só ficamos uma noite para continuar a viagem para Maceió.

Na orla tem várias agências que oferecem passeios diversos, como por exemplo o passeio ao cânion do Xingu pelo Rio São Francisco. Parece ser um passeio incrível, mas tem que programar para ficar mais dias em Aracaju. Ficou para a próxima.

De Aracaju pegamos um ônibus com destino a Maceió, a capital de Alagoas. Vale a pena ficar alguns dias e fazer passeios para as praias nos arredores da cidade, como por exemplo a Praia do Gunga.

A cidade em si não tem muitas atrações além das praias, que mesmo dentro da cidade são lindas, com uma água extremamente verde.

No sul de Maceió, uns 40 minutos de van, fica a Praia do Francês. A praia só fica cheia nos fins de semana quando os ônibus de Maceió levam turistas para lá.

A pequena cidade tem uma praia linda, que oferece aos visitantes uma piscina natural devido ao arrecife que protege a piscina de ondas fortes. A praia é larga e tem na parte principal vários restaurantes e barzinhos.

Saindo um pouco, caminhando pela praia, você vai ter muito espaço só para você e se você é surfista, pode se preparar para ondas ótimas!

Se você tem sorte, pode acompanhar os campeonatos de surf, que as vezes acontecem na Praia do Francês.

Infelizmente as pousadas aumentaram bastante os preços, na minha primeira visita tudo era bem mais simples e barato.

 

Nosso próximo e último destino foi Maragogi. Maragogi fica no norte de Alagoas, bem perto da fronteira com o estado de Pernambuco. A vila é famosa pelas piscinas naturais que ficam 6 km da costa.

Maragogi é conhecida por fazer parte de um conjunto de praias do chamado Caribe Brasileiro, assim como a badalada Porto de Galinhas.

É preciso comprar um passeio de barco para chegar lá. Quem enjoa no barco, recomendo tomar um remédio antes, pois o barco é pequeno e mesmo sendo uma viagem curta, pode balançar bastante.

O passeio vale muito a pena, pois as piscinas são enormes, com uma cor verde linda e você vai ver muitos peixinhos coloridos. Na vila tem vários restaurantes, barzinhos e feirinhas e mesmo em janeiro não fica tão cheio como outras praias perto de cidades grandes.

Muitas pessoas ficam em resorts um pouco mais afastados do centro de Maragogi. A vida da vila acontece na orla, é tudo bem pequeno. Vale muito a pena caminhar pela linda praia no final da tarde ou pela manhã, quando o sol não está tão forte ainda.

Maragogi não tem hospital, só existe uma maternidade com a condição de fazer os primeiros socorros. Para coisas mais serias é preciso ir para Maceió ou Recife.

Sei disso, porque o Rodrigo teve que recorrer aos serviços de lá e não foi uma experiência legal.

De Maragogi voltamos para Salvador para pegar nosso avião de volta para casa. A viagem foi linda, cheia de impressões novas, engraçadas e nos deixou com muita vontade de voltar, para conhecer as muitas outras praias que não conseguimos visitar.

Quem viaja com pouco dinheiro, o nordeste é uma ótima opção, tudo é bem mais barato que no sudeste e sempre tem possibilidade de negociar preços.

De acampamentos até resorts cinco estrelas, o nordeste brasileiro tem tudo a oferecer para qualquer tipo de viajante.

Se você não leu a primeira parte do meu artigo, onde visitamos Salvador, Arembepe, Praia do Forte e Mangue Seco, confira aqui.

Dica Final

Nós fizemos essa viagem em janeiro e foi muito tranquilo. Nunca pagamos mais de R$ 80 por noite pro casal e sempre conseguimos vaga em algum lugar.

Claro que foram sempre pousadas mais simples, mas sempre limpinhas e com café da manhã incluso.

Mas como já faz um tempinho que fizemos essa viagem, os preços com certeza estão diferentes, mas lembro que não gastamos mais de 1.000 R$ por pessoa, viajando por 3 semanas.